sábado, 19 de julho de 2008

De volta para o passado.

Vou tentar reconstituir meu passado motociclistico, mas não tenho muita certeza da ordem das datas e da seguencia exata das motos que tive, mas foi mais ou menos assim:

1978 - RD200 - Azul - xxxxx - 1974
1880 - RD200 - Azul - yyyyy - 1976
1981 - TT125 - branca - xxxxx - ????
1982 - Rd125 - Vermelha - AF432 - 1978
1985 - CB400 - vermelha - LZ064 - 1981
1986 - RD125 - vermelha - IZ288 - 1982
1987 - CB400 - prata - xxxxx - xxxx
1989 - 16.5 - branca - PZ626 - 1985
1989 - XL250 - branca - MZ536 - 1984
1991 - XL125 - vermelha - JZ569 - 1986
2000 - XLR125 - branca - ICG2929 - 1997
2003 - Broz125 - azul - - 2003
2004 - Sahara - Roxa - - 1997
2004 - BWS50 - azul - IFP5132 - 1996
2008 - Mirage - prata - IWM - 2006
2008 - XV250 - preta - HVI - 1999

As fotos não são delas, pois as únicas que fotografei foram a RD200, BWS e Sahara que perdi. Mas eram essas:


Minha primeira moto, comprei em 1978 e era de 1974, um "amigo" foi dar uma volta na quadra e me apareceu com as bengalas tortas, tinha batido num carro, dai desmontei ela todinha e aproveitei pra pintar toda ela, nem precisava, mas ficou bonita e chamava a atenção, pintei com as cores da Yamaha 650.


Depois da primeira RD200, acabei pegando outra, essa maquina precisa de velocidade, como sempre andei devagar, tinha que ficar secando as velas a toda hora.


Não lembro muito dela.


Essa foi outra motinha boa, melhor que as XL 125.


Essa era muito fraca, com garupa não subia lomba, sõ em primeira.


Minha maior dor de cabeça, uma moto de 1 cilindro com 2 carburadores, nossa!!! quando ela não pegava, tinha que deixar de lado e ir a pé.


Essa motinha era valente e aguentava o tranco na boa.


A primeira XL 125, nesta época ainda não conhecia a ruidade delas.


Essa CB andou na mão de algum mechanico bem ordinario, pois tinha furos de furadeira nos carburadores, acho que quebraram os ajustes de ar e meteram broca neles.


Tive outra XL 125R, que durou pouco, essa motinha era muito ruinzinha.


Não lembro muito da minha CB 400 vermelha, nem sei ela foi antes ou depois da Prata, nem a data.


Essa comprei zero em março de 2004, rodei 30 dias e vendi pois é muito ruim, vibrava muito, minha mão ficava dormente. Como todo XL 125 da Honda foi uma droga, talvez até pior que as anteriores por ser mais nova e ter uma "tecnologia" melhor.


Essa Sahara comprei numa revenda de carros, de cara tive que colocar um filtro de ar que não tinha, custava 105 reais na época.


Esta foi a penultima moto que tive, entrou na troca pela Sahara. Quase não rodei com ela.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Mirage 250, limpando a corrente e pinhão.

Limpando o compartimento do pinhão e a corrente

Bem vamos começar pelo material (partindo do principio que grana não é problema)
1- Chave L 8mm com ponta fina
2- Estopa e pano
3- Algum produto para remover as crostas de graxa com areia, se usar querosene não deixar muito tempo nas borrachas, principalmente se a corrente tiver retentor.
4- Algum oleo lubrificante (ao gosto do usuario, cada um tem sua preferencia)
5- Pincel


Chave L 8mm

Essa chave tem que ter a ponta estreita pois na tampa lateral tem um maldito parafuso que não aceita outra ferramenta, chave de boca, estrela. E embaixo tem um que não permite espaço para girar uma chave de boca ou estrela. Coisas do fabricante.

Tampa lateral que cobre o pinhão

São 3 parafusos, o de cima (o maldito) o debaixo e o de trás


Lado de dentro bem sujo


Agora mais ou menos limpo

Compartimento do pinhão VAZ Z14

Bem sujo


Sujo


Quase limpo


Corrente VAZ Z 46

Buenas, como disse, bons produtos de limpesa e de preferencia ecologicamente corretos são caros e não tinha nenhum, então usei querosene mesmo pra limpar o compartimento do pinhão, mas procurei não deixar muito tempo nas borrachas, nem na corrente, e depois usei detergente para limpar a corrente, eu queria ter removido a corrente, mas não teve jeito de achar o grampo que prende os elos, nem por fora, nem por dentro, então limpei no lugar.

Mirage 250 - Trocando o Oleo

Trocando o oleo e o filtro de oleo

Precisamos de:
1- 2 Chave cachimbo (de preferencia)
2- Oleo (ao gosto do fregues)
3- Filtro de oleo
4- Jornal, panos ou estopa.
5- Fuinil ou uma ponta de garrafa plastica

Os pontos onde devemos atuar são:

Tampão ou parafuso de saida de oleo em baixo do motor


Tampão de entrada de oleo


Compartimento do filtro de oleo (chave cachimbo L 10mm)

Abrindo o Tampão de saida de oleo

Forre o chão com jornal, coloque uma vasilha em baixo e solte o parafuso de baixo do motor, deixe escorrer todo o oleo, normalmente sai menos de 1,5l

Abra o compartimento do filtro de oleo

Quando retirar a tampa, se a moto estiver no cavalete, vai escorrer oleo pelo lado, coloque um pano ou estopa em baixo, cuidado com o anel de borracha que fica nesta tampa.


Limpe esta area, depois de sair todo o oleo do motor, eu costumo ligar o motor por 1 minuto, quando se faz isso mais oleo sai pelo compartimento do filtro de oleo.



Filtro de oleo

Do lado esquerdo o filtro usado, do meio o novo, e da direita um filtro de Virago.

Oleo

Esses foram os oleos que usei até agora, Mobil, Motul fiz 2 trocas em 7 mil km. O Motul tem um bico todo bodoso, puxa pra fora e serve como funil.


Esse é o oleo que estou usando agora aos 21.900 km. Uma vantagem é que o Yamalube vem em garrafa de meio litro.